Jones cutuca McGregor ao falar de Holm: “Não treina wrestling ou jiu-jítsu”

0
16

Astro do próximo evento numerado do Ultimate, Jon Jones esteve na MGM Grand Garden Arena no último sábado para assistir ao UFC 196 e apoiar sua companheira de equipe, a ex-campeã peso-galo Holly Holm. Em busca de sua própria redenção após ter seu cinturão dos pesos-meio-pesados destituído no ano passado por conta de problemas com a lei, Jones não ficou desanimado com a derrota da amiga para Miesha Tate e garantiu que ela vai reconquistar o título em breve. Ele aproveitou o comentário para dar um “cutucão” em Conor McGregor, que perdeu a luta principal para Nate Diaz após dizer durante a semana que ele, não “Bones”, era omelhor lutador peso por peso do mundo na atualidade.

ufc196_press_conference0040[1]

– Holly vai voltar com sede de vingança. Ela é obcecada com o que ela não faz bem. Muitas pessoas ficam boas em alguma coisa e querem fazer aquilo o dia inteiro. O Conor, por exemplo, é um ótimo boxeador e é isso que ele gosta de fazer, imagino… Acho que ele não tem um treinador de wrestling ou jiu-jítsu, duvido. Holly sempre trabalha no seu wrestling e jiu-jítsu, e agora vai ficar obcecada com essas coisas, com essas posições em que falhou hoje e vai voltar muito mais forte – declarou o ex-campeão dos meio-pesados.

Jones estava com a língua afiada durante o curto bate-papo que teve com a imprensa internacional nos bastidores do evento. Como de costume, deixou uma “patada” em Daniel Cormier, atual campeão de sua categoria e seu adversário no UFC 197, em 23 de abril. Ao ser indagado se gostaria de atuar como comentarista do Ultimate na TV como “DC”, Bones riu e disparou:

– Não quero ser um comentarista, adoro ser um atleta, esse é meu foco. Eu adoro que ele é um comentarista. Vários dias ele está ali frente às câmeras, e eu posso passar meu tempo na academia e ganhar mais distância dele. É bom ele seguir no destaque, praticando para sua carreira após eu derrotá-lo.

Jon Jones está há mais de um ano parado – sua última luta foi uma vitória por pontos sobre o mesmo Cormier em 3 de janeiro de 2015. Ele admitiu que está ansioso pelo retorno ao cage, mas disse que já está trabalhando para diminuir seus efeitos.

– Estar aqui hoje ajuda com o nervosismo de competir de novo. Sempre que estou presente e assisto, penso, “Serei eu em breve”. Absorvo tudo, sinto a torcida e quase finjo que é o “meu evento”. Isso ajuda muito com os nervos, mas no fim das contas, não há nada de errado em ter borboletas (no estômago) se você as fizer voar em formação. Tenho certeza que, quando eu lutar no dia 23 de abril, minhas borboletas vão estar concentradas em formação, e vou entrar lá e lutar bem como sempre faço – contou o lutador.